0 Flares 0 Flares ×

Se existisse um concurso para escolher a maior estupidez do Brasil não ter um sistema de trens descente estaria definitivamente entre as primeiras colocações. Para um país continental como este, a economia feita em transporte de carga e pessoas através de uma malha ferroviária inteligente é quase incalculável. Sem contar com a diminuição drástica na emissão de toxinas na atmosfera.

Mas enquanto aqui no Brasil nem o site do governo, que deveria mostrar um infográfico sobre a situação da nossa malha ferroviária funciona, em outros países – até em situação econômica mais precária que a nossa – a coisa muda de figura.

A ferrovia Trans-Mongoliana tem cerca de 2.215 quilômetros de extensão, cortando 3 países. Ela sai de Jining, na China, atravessa a Mongólia passando por sua capital, Ulan Bator e chega até Ulan-Ude, capital da República de Buriácia, na Rússia. De lá, outra ferrovia leva até Moscou, há 5.600 quilômetros de distância. Para termos uma ideia melhor, a costa brasileira tem 7.491 quilômetros de extensão.

Como assim como eu você não tem este tempo e dinheiro sobrando para fazer esta viagem, no vídeo abaixo podemos curtir todo o trajeto de trem de Beijing à Moscou em apenas 4 minutos. Imperdível.

Apesar do site oficial do Governo sobre a situação das nossas ferrovias está fora do ar, a página da Wikipédia tem boas informações.

Gerente de Projetos em Mídias e Redes Sociais, geek em potencial, quase nerd amador, pai – muito, mas muito recente – da Elis, casado, louco por Podcasts e acredita Star Trek é uma visão do nosso próprio futuro.
Um dia escreverei algo aqui e valerá a pena ser lido e poderá mudar a sua vida para sempre.
… ou não mas você não vai correr este risco de não saber, não é?

Comentários

comments